"SEMPRE IMAGINEI QUE O PARAÍSO FOSSE UMA ESPÉCIE DE LIVRARIA".
(Jorge Luís Borges)

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Para sempre - Kim & Krickitt Carpenter

Para Sempre
Kim & Krickitt Carpenter
Novo Conceito - 2012
144 pgs.
Sinopse:
A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a "Krickitt" com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava. 

Este é um dos livros mais comentados e mais vendidos do ano, além de ser uma das estréias mais aguardadas do cinema, uma vez que a história, baseada em fatos reais, fez muito sucesso nos Estados Unidos, onde vivem os protagonistas, e acabou sendo adaptada para o cinema. 

Até aqui acredito que nada é novidade, a não ser o fato de que, com raríssimas exceções, talvez eu vá gostar mais do filme, isso se, depois da leitura entediante, ainda tiver vontade de assisti-lo.

Contrariando a maioria, devo dizer que não gostei do livro. A narrativa é monótona, a história não deslancha, e acho que em duas ou três páginas eles poderiam ter escrito um texto mais emotivo, emocionante e com maior vibração e teriam atingido aquilo que eles querem que acreditemos, que seria somente contar sua história para que outros pudessem tomar como exemplo.

Em nenhuma das páginas consegui sentir o tom de amor e superação que os autores tanto querem passar ao contar o que lhes aconteceu. Quem sabe, dessa vez, o filme não seja melhor que o livro, afinal, Hollywood faz milagres com roteiros bem pouco imaginativos. Especificamente nesse caso, acredito que as modificações na adaptação, segundo o que os próprios autores afirmam que aconteceu, deve ter deixado a história bem melhor.

Nem é necessária a resenha especificamente sobre a história, uma vez que a própria sinopse já resume de forma bastante clara tudo o que foi narrado no livro. 

Uma nova resenha seria chover no molhado sobre algo que todos já sabem, afinal, para quem queria apenas contar a história de sua vida e não se aproveitar da publicidade, já tiveram publicidade demais. Ainda bem que comprei o livro numa promoção, senão teria me arrependido muito mais.

Para quem quiser conferir o trailler antes de arriscar, é só clicar.


domingo, 8 de julho de 2012

Minhas leituras de junho

Em junho, apesar da correria, e ainda não sei como, consegui ler vários livros e todos muito bons. Como não sobrou tempo para postar, faço uma postagem resumo, com quatro dos que mais gostei e recomendo, apenas lembrando que todos tem um crimezinho básico no meio, of course!
O Jardim Secreto de Eliza - Kate Morton
O Jardim Secreto de Eliza
Kate Morton
Ed. Rocco
Presente de aniversário da minha amiga diva, SAN, recomendado por sua filha diva Pilar, que leu e achou que eu pudesse gostar. Certeira: adorei. 

Publicado aqui no Brasil pela Rocco, a história conta a busca de Nell por sua verdadeira identidade. Ao completar a maioridade, no dia de sua festa de aniversário, seu pai a presenteou com a notícia de sua adoção e como ela havia sido encontrada aos quatros anos, sozinha e abandonada no cais do porto, tendo viajado de Londres, Inglaterra, até Maryborough, Austrália, sem um responsável, sem documentos, apenas com uma pequena mala branca, onde, entre outras pequenas coisas, havia apenas um livro infantil. Com alguns lampejos de memória, Nell se lembrava de uma dama que a havia mandado se esconder no navio até que ela voltasse. Porém, a tal dama nunca retornou, e a única menção ao seu nome, era Autora. Assim, Nell passou todo o resto de sua vida tentando desvendar o mistério, na ânsia de saber quem era de fato. Infelizmente, morreu antes de conhecer toda a sua história, deixando esse legado para sua neta Cassandra, que, tendo perdido marido e filho recentemente, deixou a Austrália e foi para a Inglaterra não só em busca da verdade sobre sua avó, mas em busca de sua própria identidade.

A capa é linda e a história instigante, apesar de sombria, triste e, muitas vezes cruel. Descubra você também O jardim secreto de Eliza e os segredos que ele escondeu por mais de cem anos.

Quarto - Emma Donoghue

Quarto
Emma Donoghue
Ed. Verus
Impossível não se apaixonar por Jack. Impossível não odiar o velho Nick. A poesia existe até no lado mais sombrio e cruel da vida. Assim é a vida de Jack e sua mãe: uma poesia sombria e cruel e ao mesmo tempo terna e delicada. Ao completar 5 anos, Jack descobre que o mundo é muito mais que o quarto onde vive com sua mãe e o guarda-roupas onde passa as noites, escondido do velho Nick. 

Quarto, de Emma Donoghue, publicado pela Verus, é, sem dúvida, inquietante.

Sinopse:
Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar. 

Ratos - Gordon Reece
Ratos
Gordon Reece
Ed. Intrínseca
Assunto em voga no momento, em razão das lastimáveis cenas que diariamente estampam jornais, o bullying sempre existiu, ainda que de forma mais velada ou, na verdade, menos divulgada.

Em Ratos, publicado pela Intrínseca, Gordon Reece trata do tema da forma como realmente é: frio, violento e, muitas vezes destruidor.

Sinopse:
Shelley e a mãe foram maltratadas a vida inteira. Elas têm consciência disso, mas não sabem reagir — são como ratos, estão sempre entocadas e coagidas. Shelley, vítima de um longo período de bullying que culminou em um violento atentado, não frequenta a escola. Esteve perto da morte, e as cicatrizes em seu rosto a lembram disso. Ainda se refazendo do ataque e se recuperando do humilhante divórcio dos pais, ela e a mãe vivem refugiadas em um chalé afastado da cidade. Confiantes de que o pesadelo acabou elas enfim se sentem confortáveis, entre livros, instrumentos musicais e canecas de chocolate quente junto à lareira. Mas, na noite em que Shelley completa dezesseis anos, um estranho invade a tranquilidade das duas e um sentimento é despertado na menina. Os acontecimentos que se seguem instauram o caos em tudo o que pensam e sentem em relação a elas mesmas e ao mundo que sempre as castigou. Até mesmo os ratos têm um limite.

Folhas Caídas - Thomas H. Cook
Folhas Caídas
Thomas H. Cook
Ed. Bertrand Brasil
Há tempos estava de olho nesse livro, até que surgiu a oportunidade de uma troca pelo Skoob. Assim como Viva para Contar (Lisa Gardner), que li recentemente, Folhas Caídas também nos leva a pensar na qualidade dos relacionamentos familiares, principalmente entre pais e filhos. 

Publicado pela Bertrand Brasil, é o primeiro livro de Thomas H. Cook lançado na terrinha. Embora tenha gostado da história, acho que a narrativa ficou meio solta em algumas partes e, principalmente, no final. Confesso que frustou um pouco minhas expectativas, ainda que seja uma trama de tirar o fôlego.

Sinopse:
Um suspense de tirar o fôlego, além de uma reflexão acerca de problemas familiares aparentemente comuns, mas que todos tentam esconder. Após o filho adolescente Keith tornar-se o principal suspeito do sequestro da menina Amy Giordano - desaparecida na noite em que o garoto trabalhou como sua babá -, Eric Moore vê a vida se despedaçar em segundos. Dono de uma loja de material fotográfico, de uma casa espaçosa, e com uma família estável numa cidade tranquila, ele não imaginava como esse inesperado crime mudaria sua realidade. E à medida que a investigação policial se concentra cada vez mais sobre Keith, Eric precisa orientá-lo, contratar um advogado e protegê-lo da crescente suspeita da comunidade. O problema, no entanto, é o fato de ele não estar totalmente convencido da inocência do filho. O livro, além de apresentar uma trama envolvente, esclarecida somente na última página, mostra como muitas pessoas acabam levando a vida de maneira cômoda sem perceber a tristeza que as cerca. Eric sentia-se feliz no casamento e no trabalho, e bem íntimo do taciturno filho. Quando os problemas surgem, todas as arestas mal-aparadas aparecem e ele percebe quão infeliz era, na verdade. Folha Caídas é uma história de quebra de confiança e do esforço heroico de um homem para manter fortes os laços que o ligam ligado a tudo que ele ama


P.S. Eu te amo - Cecelia Ahern

P.S. Eu te amo
Cecelia Ahern
Novo Conceito - 2012368 pgs.
Em minha opinião, um dos filmes mais lindos que já assisti (e isso sem considerar Gerard Butler e Jeffrey Dean Morgan, gatésimos). Terno, romântico e bem-humorado. Ainda não li, mas imagino que deve ser muito bom e, logicamente, ainda melhor que o resultado do cinema.

Primeiro romance da irlandesa Cecelia Ahern, foi publicado pela primeira vez em 2004. Aqui no Brasil, P.S. Eu te amo, foi lançado em 2005 pela Editora Relume Dumará, agora Ediouro e uma nova edição, pela Novo Conceito, já está em pré-venda, com lançamento em 10/08/2012.

Capa da edição de 2005
Ed. Relume Dumará
Claro que dessa vez terei que comprar um exemplar, até porque, a nova capa tem uma das cenas do filme, claro que com o "tudibom"  Gerard Butler e Hilary Swank.

Sinopse:
Gerry e Holly eram namorados de infância e ficariam juntos para sempre, até que o inimaginável acontece e ele morre, deixando-a devastada. Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, sentindo-se perdida e solitária, Holly finalmente encontra uma motivação para continuar vivendo quando recebe de presente um pacote, que havia sido enviado por seu marido antes de morrer, intitulado - A Lista. No pacote, várias cartas com instruções de como ela poderá sobreviver sem a presença dele, todas acompanhadas de um P.S. - eu te amo. Gerry, gentilmente, a guia em sua nova vida sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca.

O filme, estrelado por Hilary Swank e Gerard Butler, ainda tem Kathy Bates, Lisa Kudrow e o lindo Jeffrey Dean Morgan, que muitos confundem com Javier Barden (outro lindo), entre outros. Para quem nunca viu, é uma ótima chance de curtir esse friozinho muito bem acompanhado.


domingo, 1 de julho de 2012

A vida secreta das abelhas - Sue Monk Kidd

Uma história comovente e poética. Já havia assistido ao filme que me emocionou imensamente. Claro que o livro revela detalhes que passam ao longe no cinema, e, por essa razão, tem uma carga maior de empatia entre o leitor e as personagens. Apaixonante do início ao fim. Nota 10!
A vida secreta das abelhas
Sue Monk Kidd
Ediouro - 2004
304 pgs. 

Sinopse:
Um dos maiores sucessos da literatura americana. Lançado no Brasil pela Ediouro, A Vida Secreta das Abelhas, romance que figura por mais de um ano e meio na lista de best sellers nos Estados Unidos. A procura por uma mãe substituta e o amparo de um verdadeiro lar são os pontos centrais da história de Lily, menina que enfrenta a solidão e o desprezo, em meio a conflitos raciais, durante os anos 60. Com dois milhões de exemplares vendidos nos Estados Unidos, o livro foi adaptado para o cinema e publicado em vários países. Quem lê A Vida Secreta das Abelhas lembra-se logo das mulheres fortes e desbravadoras do comovente Tomates Verdes Fritos. Com uma narrativa suave e ao mesmo tempo pungente, Sue Monk Kidd faz um paralelo entre a vida das abelhas e sua organização e a trajetória de Lily, em um romance no qual a solidariedade humana é a abelha-rainha, que congrega todos os corações a sua volta. A autora tece um conjunto notável de personagens femininas e traz à tona sentimentos que revelam as falhas humanas, os preconceitos raciais, a beleza e sabedoria do dia-a-dia e os segredos que cada um traz dentro de si. 

O filme é muito bom e conta com um elenco de primeira, tendo como personagens centrais Dakota Fanning e Queen Latifah. Vale a pena ver de novo!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...