"SEMPRE IMAGINEI QUE O PARAÍSO FOSSE UMA ESPÉCIE DE LIVRARIA".
(Jorge Luís Borges)

sexta-feira, 25 de maio de 2012

De batom, no Afeganistão - Roberta Gately

Sem querer, acabei lendo mais um título para o tema "fatos históricos" do Desafio Literário 2012
Ganhei de um amigo uma edição do Seleções - Reader´s Digest, onde um dos 4 títulos era "De batom, no Afeganistão", de Roberta Gately
Seleções de Livros - 2012
Reader's Digest do Brasil
Passo em Falso (James Patterson), De batom, no Afeganistão (Roberta Gately)
Teatro do Medo (Peter Loversey) e O Pomar (Theresa Weir)
O livro ainda não foi publicado no Brasil, a não ser através dessa coleção da Reader's Digest do Brasil, em que a tradução ficou por conta de Marcos José da Cunha. Por isso não consegui nenhuma foto da capa, a não ser a americana.
Lipstick in Afghanistan
Roberta Gately
Gallery - 2010
As imagens de refugiados famintos de Ruanda, que viu em uma revista quando ainda era adolescente, jamais deixaram as lembranças de Elsa, assim como aquele aperto no coração que a impulsionava a querer ajudar os que precisavam mais do que ela. Vivendo na periferia de Boston, passando uma vida de privações, Elsa nunca se deixou abater, e sempre teve sua arma secreta: um batom encontrado por acaso nas coisas da irmã mais velha, a fez se sentir forte e poderosa, sempre que o usava. Mesmo quando se tornou adulta, nunca deixou de usar batom, em qualquer circunstância. Com o apoio de uma enfermeira que a incentivou a realizar seu sonho, Elsa se tornou enfermeira e, através de seu trabalho, pôde auxiliar aqueles que mais necessitavam. Imbuída desse espírito humanitário, e perturbada com os acontecimentos de 11 de setembro, ela se inscreveu num programa de ajuda internacional e recebeu a missão de passar um ano no Afeganistão, em um pequeno hospital da aldeia de Bamiyan. Sem água encanada, sem energia elétrica, sem conforto, e enfrentando as desconfianças dos médicos afegãos e do próprio povo, também teve que enfrentar as barbáries perpetradas pelos soldados talibãs, no auge da ocupação americana. Lá, em meio a tantas dificuldades, ela encontra os amigos que nunca teve e o grande amor de sua vida.

De batom, no Afeganistão, ou Lipstick in Afghanistan, é o primeiro livro de Roberta Gately, uma enfermeira americana que passou muitos anos fazendo um abnegado trabalho no Afeganistão e em outras zonas de guerra. Foi essa experiência que lhe impulsionou a escrever o romance, baseado em algumas das pessoas que conheceu e em sua própria vida. Outro elemento verdadeiro no romance, foi a sua paixão por batons, que sempre a acompanharam, inclusive em tempestades de areia.

Embora tenha esperado um pouco mais, a leitura foi bastante agradável, apesar das tragédias humanas que se desenrolam durante toda a narrativa. Segundo li no site da Amazon.com, a autora, que já está lançando o segundo romance, está pensando em uma continuação para De batom, no Afeganistão, ao menos para matar a curiosidade dos leitores, que como eu, ficaram na expectativa de saber o que aconteceu com Elsa, após retornar para casa com  o final de sua primeira missão como enviada internacional. Vale a pena conferir a história. Nota 3! 

Sinopse:
Uma enfermeira americana numa pequena clínica no Afeganistão, busca na solidariedade remédio para as próprias feridas e se vê envolvida na luta de resistência ao Talibã. (Reader's Digest).

Para saber mais: Selecções - Portugal

domingo, 20 de maio de 2012



A cidade do sol - Khaled Hosseini


Na estante há quase um ano, não sei por qual razão, este mês aproveitei o tema do Desafio Literário - fatos históricos - e decidi conhecer a história de A cidade do sol, de Khaled Hosseini, o mesmo auto de O caçador de Pipas, que eu adorei.

A cidade do sol narra a história de Mariam e Laila, duas mulheres de diferentes gerações, criações e sonhos, mas que tem as vidas entrelaçadas em razão da dura realidade que cerca as mulheres afegãs no regime radical dos talibãs.

Triste, mas realista, ainda assim a narrativa é poética, e nos deparamos com duas mulheres fortes, inteligentes e acima de tudo corajosas, que, mesmo tendo tolhidos os seus direitos, não só como mulheres, mas como seres humanos, ainda conseguem lutar pela felicidade uma da outra e de seus filhos. 

Sinopse:
Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos.
Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser." Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos.
Confrontadas pela História, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. 
E a partir desse momento, embora a História continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do "todo humano", somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios. (Saraiva)

Saiba mais, lendo reportagem da Veja.

E que ainda não leu, não deixe de conhecer a história de "O caçador de pipas", que, inclusive, tem filme baseado no livro.


Sinopse:
Este é um romance emocionante, envolvente, que nos cativa logo nas primeiras páginas. Livro de estréia de Khaled Hosseini, "O Caçador de Pipas" é uma narrativa insólita e eloqüente sobre a frágil relação entre pais e filhos, entre os seres humanos e seus deuses, entre os homens e sua pátria. Uma história de amizade e traição, que nos leva dos últimos dias da monarquia do Afeganistão às atrocidades de hoje. Amir e Hassan cresceram juntos, exatamente como seus pais. Apesar de serem de etnias, sociedades e religiões diferentes, Amir e Hassan tiveram uma infância em comum, com brincadeiras, filmes e personagens. O laço que os une é muito forte: mamaram do mesmo leite, e apenas depois de muitos anos Amir pôde sentir o poder dessa relação. Amir nunca foi o mais bravo ou nobre, ao contrário de Hassan, conhecido por sua coragem e dignidade. Hassan, que não sabia ler nem escrever, era muitas vezes o mais sábio, com uma aguda percepção dos acontecimentos e dos sentimentos das pessoas. E foi esse mesmo Hassan que decidiu que Amir seria, durante a batalha da pipa azul, uma pipa que mudaria o destino de todos. No inverno de 1975, Hassan deu a Amir a chance de ser um grande homem, de alterar sua trajetória e se livrar daquele enjôo que sempre o acompanhava, a náusea que denunciava sua covardia. Muito depois de desperdiçada a última chance, Hassan, a calça de veludo cotelê marrom e a pipa azul o fizeram voltar ao Afeganistão, não mais àquele que ele abandonara há vinte anos, mas ao Afeganistão oprimido e destruído pelo regime Talibã. Amir precisava se redimir daquele que foi o maior engano de sua vida, daquel dia em que o inverno foi mais cruel. (Saraiva)

Filme - O caçador de pipas

Trailer

domingo, 6 de maio de 2012

VIVA PARA CONTAR - Lisa Gardner

Comprei essa semana mas ainda não li. Espero ficar VIVA PARA CONTAR minha opinião após a leitura*.


*Como sobrevivi, posso dizer que o livro é ótimo. Valeu a pena. 

Pulicado pela Novo Conceito, Viva para Contar, de Lisa Gardner, é o quarto livro dos 7 já publicados nos EUA, da série "Detetive D.D. Warren". O primeiro livro com esta protagonista foi publicado em 2005, e os dois últimos em 2012.
Viva para Contar
Lisa Gardner
Novo Conceito - 2012
480 pgs.
Sinopse:
Em uma noite quente de verão, em um bairro de classe média de Boston, um crime inimaginável foi cometido: quatro membros da mesma família foram brutalmente assassinados. O pai — e possível suspeito — agora está internado na UTI de um hospital, entre a vida e a morte. Seria um caso de assassinato seguido por tentativa de suicídio? Ou algo pior? D. D. Warren, investigadora veterana do departamento de polícia, tem certeza de uma coisa: há mais elementos neste caso do que indica o exame preliminar. 

Danielle Burton é uma sobrevivente, uma enfermeira dedicada cujo propósito na vida é ajudar crianças internadas na ala psiquiátrica de um hospital. Mas ela ainda é assombrada por uma tragédia familiar que destruiu sua vida no passado. Quase 25 anos depois do ocorrido, quando D. D. Warren e seu parceiro aparecem no hospital, Danielle imediatamente percebe: vai acontecer tudo de novo.

Victoria Oliver, uma dedicada mãe de família, tem dificuldades para lembrar exatamente o que é ter uma vida normal. Mas fará qualquer coisa para garantir que seu filho consiga ter uma infância tranquila. Ela o amará, independentemente do que aconteça. Irá protegê-lo e lhe dar carinho. Mesmo que a ameaça venha de dentro da sua própria casa.

Na obra de suspense mais emocionante de Lisa Gardner, autora best-seller do The New York Times, a vida dessa três mulheres se desdobra e se conecta de maneiras inesperadas. Pecados do passado são revelados e segredos assustadores mostram a força que os laços de família podem ter. Às vezes, os crimes mais devastadores são aqueles que acontecem mais perto de nós.

Mais de James Patterson

Ainda nem consegui ler 6o Alvo e Fogo Cruzado e a Arqueiro lança mais um título de James Patterson - Private

Com exceção de "O diário de Suzana para Nicolas", os últimos quatro títulos de Patterson, publicados pela Arqueiro, tinham como foco principal o detetive Alex Cross ou a tenente Lindsay Boxer, integrante do Clube das Mulheres contra o Crime. Em Private, lançado no último dia 02/05, teremos a chance de conhecer outro personagem, que, pelo andar da carruagem, será mais uma figurinha carimbada em nossas estantes - Jack Morgan, dono da melhor agência de investigações que existe.

6o Alvoda série Clube das Mulheres contra o Crime
6o Alvo
James Patterson
Arqueiro - 2012
Sinopse:
Um assassino fora de controle
Quando um homem abre fogo contra uma balsa lotada no porto de São Francisco, a tenente Lindsay Boxer é imediatamente convocada. Ao chegar ao local, ela se depara com um cenário assustador: três pessoas estão mortas e sua amiga Claire Washburn encontra-se gravemente ferida. A tenente promete a si mesma que vai colocar o criminoso atrás das grades.

O sequestro de uma criança
Trabalhando com o inspetor Richard Conklin, Lindsay consegue prender o assassino. Assim que o julgamento começa, outro caso desperta a atenção da polícia. Madison Tyler, de 5 anos, filha de um conhecido jornalista, desaparece perto de casa.

Não há tempo a perder
Enquanto Yuki Castellano tenta condenar o atirador da balsa à pena máxima, Lindsay tem que deter o sequestrador. Outras crianças foram raptadas, mas não houve pedido de resgate. Numa corrida contra o relógio, a tenente sabe que precisa encontrar os pequenos reféns antes que seja tarde.


Títulos publicados no Brasil:
1o a morrer
2a chance
3o grau
4 de Julho
5o Cavaleiro
6o Alvo

Nos EUA já foram publicados outros 4 títulos da série Clube das Mulheres contra o Crime, e na próxima semana será lançado o 11o livro da série. Confira no site oficial, os últimos lançamentos.

Fogo Cruzado - da série Alex Cross
Fogo Cruzado
James Patterson
Arqueiro - 2012
Sinopse:
A vida de Alex Cross não poderia estar melhor: o Departamento de Homicídios passa por uma rara fase de calmaria, a família vai bem e ele se dedica a planejar seu casamento com a detetive Bree Stone, da Polícia Metropolitana.

Porém, como ele mesmo diz, nunca se sabe quando o mundo vai cair de novo na sua cabeça. Isso acontece quando um atirador de elite resolve fazer justiça com as próprias mãos e começa a matar figurões que apareceram recentemente nas manchetes por estarem envolvidos em escândalos financeiros.

Em meio às investigações para descobrir quem é o homem que está aterrorizando a cúpula da cidade, Alex recebe um telefonema de Kyle Craig, criminoso conhecido como o Estrategista. Ele está na cidade e pretende acabar com a vida de Cross e das pessoas que ele ama. Para isso, conta com um plano do qual nem o experiente detetive poderá suspeitar.

Com uma mistura de ação, intrigas e suspense, Fogo cruzado é a aventura mais intensa e emocionante de Alex Cross.


Já foram publicados 17 títulos dessa série no mercado americano, sendo o último Kill Alex Cross.

Private - 1o livro da série Private
Private
James Patterson
Arqueiro - 2012
Sinopse:
Só há um lugar seguro para os segredos dos poderosos.
Jack Morgan é dono da Private, a melhor agência de investigações que existe, com escritórios em vários cantos do planeta. É a ele que os homens e as mulheres mais influentes do mundo recorrem quando precisam de total eficiência e máxima discrição. A agência é o único recurso quando a polícia não pode fazer mais nada.

Os criminosos estão à solta.
Enquanto Jack e sua equipe investigam o assassinato de 13 garotas, surgem dois outros casos, bem mais pessoais. Fred, tio de Jack, procura-o pedindo ajuda com um escândalo financeiro que pode destruir a liga profissional de futebol americano. E a esposa do melhor amigo de Jack, Andy Cushman, é encontrada morta.


Leia um trecho do livro no site da Arqueiro.

Private Games é o segundo livro da série e foi lançado no mercado americano recentemente.



O mistério do chocolate - Joanne Fluke

Um suspense de dar água na boca!

Mais uma vez juntei a fome com a vontade de comer, e para cumprir o tema de janeiro do Desafio Literário, Literatura Gastronômica, escolhi um livro do gênero pelo qual sou apaixonada: suspense/policial.

Hannah Swensen Mysteries é uma série de 16 títulos, escritos pela americana Joanne Fluke. O MISTÉRIO DO CHOCOLATE, ou, CHOCOLATE CHIP COOKIE MURDER, é o primeiro da série, recém publicado no Brasil pela Lua de Papel.

A série tem como personagem principal, Hannah Swensen, proprietária da confeitaria Jarro de Cookies, que, em meio às suas receitas de cookies e deliciosas sobremesas, vive às voltas com a investigação dos crimes que ocorrem na pequena cidade de Lake Eden, e, que, invariavelmente, envolvem as suas mais saborosas criações.

Em "O mistério do chocolate", Hannah encontra, na rua atrás de sua loja, o corpo de Ron LaSalle, o querido e popular entregador do laticínio da cidade. A marca de um tiro deixa claro o assassinato, mas a surpresa, ao menos para Hannah, é que o morto estava com um dos seus cookies de chocolate em uma das mãos e vários outros espalhados à sua volta. Com a desculpa de que o assassinato possa prejudicar os negócios da Jarro de Cookies, Hannah se envolve nas investigações, auxiliando seu cunhado Bill, encarregado do caso, a descobrir o assassino. Em meio a investigação do crime, Hannah ainda aguenta as interferências de sua mãe em sua vida pessoal, uma vez que Delores insiste em apresentar a filha para todos os homens disponíveis na pequena cidade.

A história é interessante, a narrativa bem-humorada, mas o que torna o livro imperdível, são as receitas de cookies colocadas entre um e outro capítulo, totalizando 7 deliciosas receitas. Ah! A capa é outro fator positivo do livro: nas fotos que vemos nos sites não é possível perceber as cores metalizadas e o chocolate em cor mais brilhante, parecendo em alto relevo. Realmente é de dar água na boca. No final do livro tem o primeiro capítulo do próximo título,  "O enigma do morango", também com uma receita de bolo. 

O mistério do chocolate é um romance policial leve, divertido e, surpreendentemente, saboroso. Gostei do livro e espero que publiquem os outros títulos. 
O mistério do chocolate
Joanne Fluke
Lua de Papel/Leya
2012 - 256 pgs. 
Sinopse:
Uma confeitaria, um assassinato, e alguns cookies de chocolate escandalosamente crocantes. Hannah Swensen é uma confeiteira ruiva que cria sobremesas e cookies tão mordazes quanto suas respostas atrevidas na pequena cidade de Lake Eden. Quando Ron LaSalle, o entregador mais querido da cidade é encontrado morto atrás de sua confeitaria, tendo os famosos cookies de chocolate de Hannah espalhados ao seu redor, sua vida e seu negócio só pode piorar. Determinada a não permitir que seus cookies fiquem com má reputação, ela decide começar a investigar o crime, colocando também sua própria vida em risco. Acompanhado de uma boa dose de humor e uma deliciosa variedade de receitas de cookies de dar água na boca, O mistério do chocolate, primeiro livro da série Hannah Swensen Mysteries, é um ótimo suspense culinário investigado por uma esperta aspirante a detetive que fará os leitores de mistério saboreá-lo do início ao fim. (Saraiva)

Joanne Fluke - test drive das receitas
Sobre a autora:
Assim como a personagem Hanna Swensen, Joanne Fluke cresceu em uma pacata cidade no interior do estado de Minnesota, nos Estados Unidos, com vizinhos amigáveis e um inverno rigoroso. Joanne insiste em dizer que realmente há 10.000 lagos lá e que mosquitos não são as aves do Estado. Antes da literatura, Joanne trabalhou como professora, psicóloga, música, assistente de detetive particular, a cozinheira, florista, organizadora de eventos e assistente de produção em um programa de TV, além de ser mãe, esposa e dona de casa. Toda essa variedade e experiência lhe trouxeram uma rica inspiração para criar tramas de mistérios. Atualmente, ela mora no sul da Califórnia com o marido, os filhos do marido, os filhos dela, seus três cachorros e uma velha gata.

Curiosidades:
No site da Lua de Papel, você poderá ler o 1o capítulo do livro, conhecer melhor a autora e ainda saber como foi criado o cookie e conseguir a receita do cookie de chocolate do livro.



Todos os títulos em ordem de publicação:
Book 1 -- CHOCOLATE CHIP COOKIE MURDER (O mistério do chocolate)
Book 2 -- STRAWBERRY SHORTCAKE MURDER (O enigma do morango - ainda não publicado)
Book 3 -- BLUEBERRY MUFFIN MURDER
Book 4 -- LEMON MERINGUE PIE MURDER
Book 5 -- FUDGE CUPCAKE MURDER
Book 6 -- SUGAR COOKIE MURDER
Book 7 -- PEACH COBBLER MURDER
Book 8 -- CHERRY CHEESECAKE MURDER
Book 9 -- KEY LIME PIE MURDER
Book 10 -- CARROT CAKE MURDER
Book 11 -- CREAM PUFF MURDER
Book 12 -- PLUM PUDDING MURDER
Book 13 -- APPLE TURNOVER MURDER
Book 14 -- DEVIL'S FOOD CAKE MURDER 
Book 15 - CINNAMOM ROLL MURDER (publicado recentemente nos EUA)
Book 16 - RED VELVET CUPCAKE MURDER (lançamento previsto para 2013 nos EUA)

Os títulos, em inglês, podem ser adquiridos nas livrarias brasileiras, sendo que alguns deles são vendidos em formato digital.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Resistência - Agnés Humbert

Este é o meu segundo livro do tema Fatos Históricos, do Desafio Literário 2012.

Agnes Humbert é um dos símbolos da Resistência Francesa, tendo sido condecorada com a Medalha de Guerra por seu heroísmo, sua coragem e luta contra a ocupação alemã na França, durante a 2a Guerra.

Francesa, divorciada, mãe de dois filhos, Agnés era historiadora da arte e trabalhava no Museu Nacional de Artes e Tradições Populares de Paris, quando, em 40, em razão da ocupação da França pelos nazistas, fundou um dos primeiros grupos de resistência contra o regime alemão.

Por quase um ano, além de sua ativa participação no grupo denominado por ela de Résistance, Agnes manteve um diário, claro e direto sobre os acontecimentos, mas também leve e, inevitavelmente, cativante. Em abril de 1941, após ser presa junto com seus companheiros, o diário deixou de ser escrito, mas sua memória gravou, detalhadamente, tudo o que passou nos quatro anos em que se manteve nas prisões alemãs, trabalhando como escrava numa fábrica de tecidos.

Após sua libertação pelo exército americano, Agnes retomou o diário, contando, com riqueza de detalhes, todos os horrores que passou em cada um dos dias de sua vida nas mãos dos hitleristas, demonstrando que nem todos os sofrimentos que lhe impuseram conseguiram fazer com que perdesse a esperança de liberdade e de ver sua pátria liberta do jugo do exército de Hitler.

Resistir é preciso, sempre! Resistência - A história de uma mulher que desafiou Hitler, de Agnés Humbert, foi publicado pela primeira vez em 1946.

Resistência
Agnés Humbert
Nova Fronteira
2008 - 344 pags.
Sinopse:
Agnès Humbert, historiadora da arte, estava com 44 anos em 1940. Era separada, tinha dois filhos e trabalhava no Museu de Artes e Tradições Populares, instituição filiada ao Museu do Homem em Paris. Quando os alemães entraram na cidade, Agnès, como a maioria dos intelectuais, foge. Alguns meses depois ela decide voltar e fundar, junto com seus colegas do museu Boris Vildé, Anatole Lewitsky, Jean Cassou e Yvonne Oddon, o primeiro movimento de resistência na capital francesa.

Agnès e seus amigos enfrentaram os alemães na Paris ocupada, fazendo o que podiam: convocar pequenas greves estratégicas, conversar ao pé do ouvido com as mães na hora de apanhar as crianças no colégio, retirar as moedas de circulação, inundar as ruas vizinhas com folhetos impressos na madrugada anterior, distribuir um pequeno jornal que informava todas as ações do movimento e suas conseqüências. Até que os alemães a localizaram, a prenderam e a levaram para um campo de concentração. Lá os horrores da guerra a atingiram em cheio. Agnès decidiu resistir mais uma vez. E conseguiu.

Este livro, mistura de diário e memória, publicado pela primeira vez em 1946, é um relato surpreendentemente bem-humorado e irônico. O testemunho vivo de uma época e suas questões, o depoimento pessoal de uma mulher forte que sempre soube que estava do lado da vida e da liberdade.
 (Livraria da Travessa)

A resposta - The help - Kathry Stockett

Mais uma história que tenho o prazer de compartilhar com os leitores do blog e os demais participantes do Desafio Literário 2012, cujo tema do mês de maio é "Fatos Históricos".

Assim como enredos sobre o nazismo, os dramas sobre racismo, tortura ou qualquer outro assunto que sabemos ter causado muita dor e revolta na nossa história mais recente, me apavoram. Não gosto da sensação de desconforto que me causam, da tristeza e da comiseração que me incitam. Então, prefiro passar ao longe desse tipo de livro. Não teria lido "A resposta", de Kathryn Stockett, não fosse a insistência de uma amiga, Gisele De Marie, quanto a não deixar de ver o filme, "Histórias Cruzadas", baseado no livro. Vi o trailler, gostei e, por sorte, uma outra amiga, Sandra Helena, me emprestou o livro.

Me preparei psicologicamente para o drama que se seguiria ao longo das mais de 500 páginas, mas me surpreendi devorando cada uma delas, sorvendo embevecida a narrativa bem humorada, apesar de verdadeira, da vida de três mulheres, diferentes umas das outras, mas que se entrelaçam em busca de um único sonho: a liberdade de serem elas mesmas e serem tratadas com o respeito e dignidade que todo ser humano merece.

A resposta
Kathryn Stockett
Bertrand Brasil - 2010
574 pgs.
No Mississipi dos anos 60 o conflito racial entre brancos e negros era algo tão opressivo quanto a perseguição dos arianos aos judeus. A segregação racial matava e desprezava  a existência dos negros. 

Em meio a tudo isso, Martin Luther King era o Dom Quixote que lutava contra seus moinhos de vento, tentando incutir, não só aos brancos, mas principalmente, aos negros, a consciência de que todos somos iguais e temos importância no mundo em que vivemos.

Encorajadas pelas ações de Mr. King, Aibillen, Minny e outras corajosas mulheres negras, deixaram de lado o medo, a revolta e a aceitação de sua condição de submissão, e resolveram contar ao mundo suas histórias de vida, seus relacionamentos interpessoais com patrões e outras pessoas de pele branca, com a ajuda de uma jornalista branca, que as instigou e lhe mostrou como poderiam dar um tapa com luva de pelica naqueles que lhe relegavam e lhes negavam o respeito e a dignidade humana.

Por outro lado, para Skeeter Phelan, a mocinha branca de família tradicional, que sonha em ser escritora, a vida dessas mulheres lhe proporcionou a oportunidade do auto-conhecimento e do fim dos laços que a prendiam a antigos pensamentos que lhe foram incutidos pela sociedade da época, que não admitia mulheres que demonstrassem independência, inteligência e que podiam viver sem estar à sombra dos homens.

Terno, inteligente, instigante, "A resposta" é um dos melhores livros já publicados. A autora, soube, como ninguém, dar um tom cor de rosa a uma história que tinha tudo para ser assustadora. Nota 1000!

Sinopse:
Uma história de esperança. Um marco na Literatura
Esta obra esteve por mais de 80 semanas na lista do New York Times. Mais de 70 semanas na lista da Publishers Weekly. Mais de cinco milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Considerado por Oprah Winfrey um dos melhores livros de 2009. Livro favorito dos atores de Hollywood em 2009 e 2010. Estreia marcada no cinema no primeiro semestre do próximo ano. Esse é A Resposta, sucesso de Kathryn Stockett que a Bertrand Brasil lança agora para o Natal. 

Eugenia Skeeter Phelan terminou a faculdade e está ansiosa para tornar-se escritora. Após um emprego como colunista do jornal local, ela tem uma ideia brilhante, mas perigosa: escrever um livro em que empregadas domésticas negras relatam o seu relacionamento com patroas brancas do Mississipi na década de 60. Mesmo com receio de prováveis retaliações, ela consegue a ajuda de Aibeleen, a empregada doméstica que criou 17 crianças brancas, e Minny, que, por não levar desaforo para casa, já esteve por diversas vezes desempregada após bater boca com suas patroas.
Aproveitando o surgimento das primeiras manifestações em defesa dos direitos civis, Skeeter espera que seu livro choque as pessoas brancas preconceituosas e traga orgulho e esperança à comunidade negra de Jackson, condado onde se passa a história. Ao mesmo tempo, com a possível publicação do livro, ela espera quebrar as suas próprias barreiras e realizar o sonho de sua vida. Uma história emocionante e estarrecedora onde a cor da pele das pessoas determina toda a sua vida. 

Sobre a Autora: Kathryn Stockett nasceu e cresceu em Jackson, Mississippi. Depois de se formar em Língua Inglesa e Redação Criativa pela Universidade do Alabama, mudou-se para Nova York, onde trabalhou em revistas, no mercado editorial e em marketing durante nove anos. Vive em Atlanta com o marido e a filha. Esse é seu romance de estreia.(Submarino)


Direção:            Tate Taylor
Elenco:               Emma Stone, Bryce Dallas Howard, Viola Davis
Nome original:  The Help
Duração:           146 minutos
Lançamento:     2011
País:                   EUA
Gênero:              Drama
Classificação:   12 anos

Trailler:








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...