"SEMPRE IMAGINEI QUE O PARAÍSO FOSSE UMA ESPÉCIE DE LIVRARIA".
(Jorge Luís Borges)

domingo, 8 de julho de 2012

Minhas leituras de junho

Em junho, apesar da correria, e ainda não sei como, consegui ler vários livros e todos muito bons. Como não sobrou tempo para postar, faço uma postagem resumo, com quatro dos que mais gostei e recomendo, apenas lembrando que todos tem um crimezinho básico no meio, of course!
O Jardim Secreto de Eliza - Kate Morton
O Jardim Secreto de Eliza
Kate Morton
Ed. Rocco
Presente de aniversário da minha amiga diva, SAN, recomendado por sua filha diva Pilar, que leu e achou que eu pudesse gostar. Certeira: adorei. 

Publicado aqui no Brasil pela Rocco, a história conta a busca de Nell por sua verdadeira identidade. Ao completar a maioridade, no dia de sua festa de aniversário, seu pai a presenteou com a notícia de sua adoção e como ela havia sido encontrada aos quatros anos, sozinha e abandonada no cais do porto, tendo viajado de Londres, Inglaterra, até Maryborough, Austrália, sem um responsável, sem documentos, apenas com uma pequena mala branca, onde, entre outras pequenas coisas, havia apenas um livro infantil. Com alguns lampejos de memória, Nell se lembrava de uma dama que a havia mandado se esconder no navio até que ela voltasse. Porém, a tal dama nunca retornou, e a única menção ao seu nome, era Autora. Assim, Nell passou todo o resto de sua vida tentando desvendar o mistério, na ânsia de saber quem era de fato. Infelizmente, morreu antes de conhecer toda a sua história, deixando esse legado para sua neta Cassandra, que, tendo perdido marido e filho recentemente, deixou a Austrália e foi para a Inglaterra não só em busca da verdade sobre sua avó, mas em busca de sua própria identidade.

A capa é linda e a história instigante, apesar de sombria, triste e, muitas vezes cruel. Descubra você também O jardim secreto de Eliza e os segredos que ele escondeu por mais de cem anos.

Quarto - Emma Donoghue

Quarto
Emma Donoghue
Ed. Verus
Impossível não se apaixonar por Jack. Impossível não odiar o velho Nick. A poesia existe até no lado mais sombrio e cruel da vida. Assim é a vida de Jack e sua mãe: uma poesia sombria e cruel e ao mesmo tempo terna e delicada. Ao completar 5 anos, Jack descobre que o mundo é muito mais que o quarto onde vive com sua mãe e o guarda-roupas onde passa as noites, escondido do velho Nick. 

Quarto, de Emma Donoghue, publicado pela Verus, é, sem dúvida, inquietante.

Sinopse:
Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar. 

Ratos - Gordon Reece
Ratos
Gordon Reece
Ed. Intrínseca
Assunto em voga no momento, em razão das lastimáveis cenas que diariamente estampam jornais, o bullying sempre existiu, ainda que de forma mais velada ou, na verdade, menos divulgada.

Em Ratos, publicado pela Intrínseca, Gordon Reece trata do tema da forma como realmente é: frio, violento e, muitas vezes destruidor.

Sinopse:
Shelley e a mãe foram maltratadas a vida inteira. Elas têm consciência disso, mas não sabem reagir — são como ratos, estão sempre entocadas e coagidas. Shelley, vítima de um longo período de bullying que culminou em um violento atentado, não frequenta a escola. Esteve perto da morte, e as cicatrizes em seu rosto a lembram disso. Ainda se refazendo do ataque e se recuperando do humilhante divórcio dos pais, ela e a mãe vivem refugiadas em um chalé afastado da cidade. Confiantes de que o pesadelo acabou elas enfim se sentem confortáveis, entre livros, instrumentos musicais e canecas de chocolate quente junto à lareira. Mas, na noite em que Shelley completa dezesseis anos, um estranho invade a tranquilidade das duas e um sentimento é despertado na menina. Os acontecimentos que se seguem instauram o caos em tudo o que pensam e sentem em relação a elas mesmas e ao mundo que sempre as castigou. Até mesmo os ratos têm um limite.

Folhas Caídas - Thomas H. Cook
Folhas Caídas
Thomas H. Cook
Ed. Bertrand Brasil
Há tempos estava de olho nesse livro, até que surgiu a oportunidade de uma troca pelo Skoob. Assim como Viva para Contar (Lisa Gardner), que li recentemente, Folhas Caídas também nos leva a pensar na qualidade dos relacionamentos familiares, principalmente entre pais e filhos. 

Publicado pela Bertrand Brasil, é o primeiro livro de Thomas H. Cook lançado na terrinha. Embora tenha gostado da história, acho que a narrativa ficou meio solta em algumas partes e, principalmente, no final. Confesso que frustou um pouco minhas expectativas, ainda que seja uma trama de tirar o fôlego.

Sinopse:
Um suspense de tirar o fôlego, além de uma reflexão acerca de problemas familiares aparentemente comuns, mas que todos tentam esconder. Após o filho adolescente Keith tornar-se o principal suspeito do sequestro da menina Amy Giordano - desaparecida na noite em que o garoto trabalhou como sua babá -, Eric Moore vê a vida se despedaçar em segundos. Dono de uma loja de material fotográfico, de uma casa espaçosa, e com uma família estável numa cidade tranquila, ele não imaginava como esse inesperado crime mudaria sua realidade. E à medida que a investigação policial se concentra cada vez mais sobre Keith, Eric precisa orientá-lo, contratar um advogado e protegê-lo da crescente suspeita da comunidade. O problema, no entanto, é o fato de ele não estar totalmente convencido da inocência do filho. O livro, além de apresentar uma trama envolvente, esclarecida somente na última página, mostra como muitas pessoas acabam levando a vida de maneira cômoda sem perceber a tristeza que as cerca. Eric sentia-se feliz no casamento e no trabalho, e bem íntimo do taciturno filho. Quando os problemas surgem, todas as arestas mal-aparadas aparecem e ele percebe quão infeliz era, na verdade. Folha Caídas é uma história de quebra de confiança e do esforço heroico de um homem para manter fortes os laços que o ligam ligado a tudo que ele ama


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...