"SEMPRE IMAGINEI QUE O PARAÍSO FOSSE UMA ESPÉCIE DE LIVRARIA".
(Jorge Luís Borges)

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Desafio literário 2012 - Resumo

Enfim, terminei minha última resenha para o DL-2012. Minha lista foi modificada ao longo do ano mas consegui alcançar meu objetivo, que foi completar o desafio lendo ao menos um título para cada tema proposto.

Segue minha lista oficial, com todos os títulos lidos. Os que mais gostei estão destacados.


JANEIRO - Literatura Gastronômica  
O mistério do chocolate (Hannah Swensen Mysteries 1)- Joanne Fluke

FEVEREIRO - Nome Próprio (de pessoas) 
Marina - Carlos Ruiz Zafón

MARÇO - Serial Killer 
Post-mortem - Patrícia Cornwell
As esganadas - Jô Soares
5o Cavaleiro - James Patterson

ABRIL - Escritor(a) oriental  
O rastro do sândalo - Asha Miró (Índia)
O olho de jade - Diane Wei Liang (China)
                  
MAIO - Fatos Históricos 
A resposta - Kathryn Stockett - (problemas raciais no Mississipi)
Resistência - A História de uma Mulher que Desafiou Hitler, de Agnes Humbert

JUNHO - Viagem no Tempo 
A Mulher do Viajante no Tempo - Audrey Niffenegger

JULHO - Prêmio Jabuti  
Estação Carandiru - Drauzio Varella

AGOSTO - Terror 
MR. X - Peter Straub

SETEMBRO - Mitologia universal 
Mitos e lendas para crianças - Dorling Kindersley

OUTUBRO - Graphic Novel 
Persépolis - Marjane Satrapi

NOVEMBRO - Escritor(a) africano 
Cotoco - John van de Ruit (África do Sul)
                   
DEZEMBRO - Poesia 
Sentimentos do Mundo - Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Desafio literário - Poesia - Sentimentos do Mundo - Drummond

Para encerrar o desafio literário 2012, escolhi, para o tema de dezembro - Poesia, Carlos Drummond de Andrade.

Como a vida é cheia de surpresas, fui surpreendida com a escolha aleatória deste livro de Drummond, "Sentimento do Mundo", publicado em 1940. Explico: há alguns meses, na página da Biblioteca no Face apareceu um aplicativo em que, através de um teste, descobria-se qual poesia de Drummond poderia ser dedicada à você. À mim coube "Os ombros suportam o mundo", que até então, desconhecia. Para minha surpresa, era uma das poesias desse livro que escolhi sem maiores pretensões, a qual faço questão de compartilhar com todos:

Os Ombros Suportam o Mundo - Carlos Drummond de Andrade

Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram. 
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.

Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.

Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teu ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança. 
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo,
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.

Sentimento do Mundo
Carlos Drummond de Andrade
Companhia das Letras - 2012 - Ed. Bolso
77 páginas
Sinopse:
Publicado em 1940, Sentimento do mundo permanece, tantos anos depois, ainda um dos livros mais celebrados da carreira de Drummond. Não é para menos: o livro enfileira poemas clássicos como “Sentimento do mundo”, “Confidência do Itabirano”, “Poema da necessidade” - é possível que versos do livro inteiro tenham sido impressos no inconsciente literário brasileiro, tamanha é sua repercussão até hoje. Já estabelecido no Rio e observando o mundo (e a si mesmo) de uma perspectiva urbana, o Drummond de Sentimento do mundo oscila entre diversos polos: cidade x interior, atualidade x memórias, eu x mundo. Perfeita depuração dos livros anteriores, este é um verdadeiro marco - e como se isso não bastasse, é o livro que prepara o terreno para nada menos do que A rosa do povo (1945). Por isso a ênfase, ao longo de todo o livro, na vida presente.


Um dos mais conhecidos e admirados poetas brasileiros, este poeta e cronista nasceu em Minas Gerais, na cidade de Itabira, em 31 de outubro de 1902. Estudou em Belo Horizonte e em Nova Friburgo, se formou em farmácia, mas foi escrevendo que se realizou. Sua primeira obra poética publicada foi ''Algumas Poesias”, em 1930, e não parou mais, sendo que muitos de seus livros foram traduzidos para outras línguas.

Em suas obras você consegue acompanhar a evolução dos acontecimentos, suas poesias revelam os problemas do mundo, durante a Segunda Guerra. Ele soube analisar o homem moderno e seus sentimentos, e o seu modo de escrever sobre o assunto variava entre a sensibilidade e a ironia. Drummond faleceu em agosto de 1987, na cidade do Rio de Janeiro.

Meu preferido:

Não se mate 

Carlos, sossegue, o amor 
é isso que você está vendo: 
hoje beija, amanhã não beija, 
depois de amanhã é domingo 
e segunda-feira ninguém sabe 
o que será.

Inútil você resistir 
ou mesmo suicidar-se. 
Não se mate, oh não se mate, 
reserve-se todo para 
as bodas que ninguém sabe 
quando virão, 
se é que virão.

O amor, Carlos, você telúrico, 
a noite passou em você, 
e os recalques se sublimando, 
lá dentro um barulho inefável, 
rezas, 
vitrolas, 
santos que se persignam,  
anúncios do melhor sabão, 
barulho que ninguém sabe 
de quê, praquê. 

Entretanto você caminha 
melancólico e vertical. 
Você é a palmeira, você é o grito 
que ninguém ouviu no teatro 
e as luzes todas se apagam. 
O amor no escuro, não, no claro, 
é sempre triste, meu filho, Carlos, 
mas não diga nada a ninguém, 
ninguém sabe nem saberá. 

("Brejo das almas". In:_____. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.)

domingo, 16 de dezembro de 2012

Retrospectiva Literária 2012 - Entre nessa

Pelo segundo ano consecutivo vou participar da Retrospectiva Literária iniciada em 2010 pela Angélica Roz, do blog Pensamento Tangencial. 

A retrospectiva é uma blogagem coletiva, onde todos os participantes postarão, no dia 31/12/2012, uma lista de suas leituras de 2012, de acordo com as questões propostas no blog de origem.

Então é só aguardar o último dia do ano, para saber quais os livros se destacaram entre os blogueiros participantes. Até lá!

E por falar em HQ

No post anterior citei minhas HQ's preferidas quando criança. Claro que também li muito Pato Donald e Turma da Mônica, mas esses foram inesquecíveis. Então, para refrescar a memória de alguns e trazer ao conhecimento de tantos outros, aí vão os meus quadrinhos inesquecíveis.

Fantasma - o espírito que anda
Depois do Pedrinho do Sítio do Pica-pau Amarelo, talvez este tenha sido minha segunda paixão platônica. Criação do americano Lee Falk, o Fantasma surgiu em 1936, chegando ao Brasil a partir de 1940, como tirinhas de jornal. Depois, entre as décadas de 50 e 80 foi publicado pela editora RGE.


"Na escuridão da selva, os tambores murmuram: Há mais de 400 anos, uma embarcação foi atacada por piratas Singh. O filho de um lorde inglês, que sobreviveu na costa de Bengala, foi acolhido por pigmeus Bandar. Algum tempo depois, recuperado fisicamente, mas ainda tomado pela dor da perda, o jovem Kit, toma o crânio descarnado do assassino de seu pai (reconhecido por trajar as roupas de seu pai) e profere o célebre juramento da caveira: "Juro dedicar minha vida à tarefa de destruir a pirataria, a ganância, a crueldade e a injustiça. E meus filhos e os filhos de meus filhos me perpetuarão". A partir daí surge a dinastia do fantasma de pai para filho, uma herança é passada. Sempre com o mesmo uniforme, e por séculos combatendo a vilania, surge o mito da imortalidade. Na verdade, o atual herói é da 21ª geração da Dinastia do Fantasma e se chama Kit Walker como todos os seus antecessores".

Foram feitos dois filmes sobre a história do Fantasma. Um em 1943, com o ator Tom Tyller, com 15 episódios, e outro em 1996, com o ator Billy Zane e Catherine Zeta-Jones.

Mais sobre o Espírito que anda:



A vaca voadora
Baseado no livro de Edy Lima, de mesmo nome, em janeiro de 1977 foi lançado, pela editora RGE, o primeiro exemplar do gibi A vaca voadora. Os personagens principais, além da vaca, é claro, são, o menino Lalau, de 06 anos e Tio Gumercindo. A vaca passou a voar depois de tomar um elixir preparado por uma das tias de Lalau, Maricotinha ou Quiquinha.

Volume 1 - Janeiro de 1977
Volume 7 - Julho de 1977

Persépolis - Marjane Satrapi

Nunca diga "não gosto" antes de experimentar algo. Só assim você terá experiência para dizer não quero, não gostei. Quando me propus a participar do Desafio Literário 2012, foi exatamente em função de me obrigar a experimentar novos temas, conhecer outros autores, enfim, deixar de ser leitora de um gênero só. Ainda assim, torci o nariz para alguns dos temas indicados, um deles, a tal da Graphic Novel, tema de outubro

Histórias em quadrinhos para mim eram os gibis que tanto li quando menina e que hoje não consigo achar graça. Também me lembro de alguns inesquecíveis, como as histórias do Fantasma - O Espírito que anda, do Recruta Zero e da Vaca Voadora (que pouquíssimos se lembram). Enfim, não conseguia me imaginar lendo HQ outra vez, até ler PERSÉPOLIS.
Persépolis é a autobiografia da iraniana Marjane Satrapi, nome artístico de Marjane Ebihamis, nascida em Rasth, Irã, em 22/11/1969. Marjane é uma romancista gráfica, ilustradora e escritora infanto-juvenil, e mora na França.

Nesse caso, acredito que fui cativada pela forma bem humorada de como a história foi contada, não apenas sobre a vida da autora, mas de um regime político sobre o qual eu nunca tive interesse em me aprofundar. Através dos olhos e dos pensamentos de Marjane consegui compreender um pouco da história do povo iraniano, e, mesmo que ainda não consiga aceitar o regime político imposto ao iranianos, passei a admirar o povo, que, como qualquer outro, quer apenas ser feliz. 
  
Persépolis
Marjane Satrapi
Cia. das Letras
2007 - 352 págs.
Sinopse:
Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita — apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa. Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares. Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente,o humor se infiltra no drama — e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar. Marjane Satrapi nasceu em Rasht, no Irã, em 1969, e atualmente vive em Paris.

Com o mesmo talento e desenvoltura para contar histórias, e ainda recorrendo as suas memórias, Marjane lançou dois outros quadrinhos: Bordados e Frango com ameixas. O primeiro retrata sua infância em Teerã, nos almoços que reuniam toda a família na casa de sua avó. O segundo, conta-nos a vida de seu tio, Nasser Ali, que passou a vida tentando se recuperar da tristeza de ter perdido o instrumento que o fez um dos maiores artistas iranianos: o tar, quebrado por sua esposa durante uma briga do casal.

Bordados
Marjane Satrapi
Cia. das Letras
2010 - 136 págs.
Sinopse:
Os almoços de família na casa da avó de Marjane Satrapi, em Teerã, terminavam sempre com o mesmo ritual: enquanto os homens iam fazer a sesta, as mulheres lavavam a louça. Logo depois começava uma sessão cujo acesso só era permitido a elas - o "bordado", tema deste que é o terceiro livro de Satrapi publicado pela Companhia das Letras. Os leitores de Persépolisreconhecerão aqui as marcas registradas da autora: o humor cortante, o traço simples em preto e branco, o feminismo mordaz, jamais patrulheiro. O "bordado" iraniano seria equivalente ao brasileiríssimo "tricô", não fosse uma acepção bastante particular: a expressão designa também a cirurgia de reconstituição do hímen, uma decisão pragmática para as mulheres que não abrem mão de ter vida sexual antes do casamento mas sabem que precisam corresponder às expectativas das forças moralistas do país. O grupo que se reúne na casa da avó de Marjane, a mesma que conhecemos em Persépolis, é uma amostra de mulheres com moral e experiência bastante variadas, mas sempre às voltas com o machismo e a tradição, sobretudo depois da Revolução Islâmica (1979). Casamentos malfadados, virgindades roubadas, adultérios, frustrações, golpes e autoenganos, narrados com a ironia tão peculiar à autora, mostram que no Irã amar e desamar pode ser ainda mais complicado do que podemos supor.

Frango com ameixas
Marjane Satrapi
Cia. das Letras
2008 - 88 págs.
Sinopse:
Se em Persépolis Marjane Satrapi empreendeu um relato autobiográfico, emFrango com ameixas não é sua própria vida que está em foco, mas a de seu tio. Artista como ela, Nasser Ali começa a narrativa com uma tragédia pessoal: durante uma briga, sua mulher destruiu o antigo e precioso tar (um instrumento de cordas da tradição persa) que o celebrizara como um dos maiores músicos do país. Nasser Ali sai em busca de um novo instrumento, mas parece impossível encontrar um que tenha o som tão perfeito como o que ele herdara na juventude, durante seus anos de formação. A procura pelo tar o leva a conflitos com a família, com os amigos e com sua própria identidade de artista - é como se ela tivesse se rompido junto com o instrumento. Começam a vir à tona, então, as escolhas que ele poderia ter feito e as conseqüências das escolhas que fez, como a de se casar com a mulher que viria a destruir o seu maior bem. A narrativa traz as grandes marcas que fizeram a fama de Persépolis correr mundo: a combinação da simplicidade dos desenhos com uma notável capacidade para contar histórias, em que um humor peculiar, o misticismo persa, as complicadas relações com a cultura ocidental e a singularidade da família de Marjane. O que pode parecer uma história bastante específica se mostra universal. Sobreposta à biografia de Marjane - uma artista que só encontrou seu meio de expressão ao enfrentar os conflitos políticos e culturais de seu país -, a história pode ser lida como um belo manifesto pela liberdade de criação artística e pela arte como sinônimo máximo da individualidade. O tom predominante, marcadamente triste, não impede que o humor se infiltre, o que nos dá prova de que Marjane Satrapi está entre as grandes contadoras de histórias dos nossos dias.


Persépolis e Frango com ameixas também foram adaptados para o cinema. 

Persépolis, em 2008, na forma de longa-metragem de animação, em branco e preto, tal como os quadrinhos. Frango com ameixas foi lançado em 2011 no formato de filme com atores de carne e osso.




Quer saber mais?
Marjane Satrapi, foto retirada do blog da Cia. das Letras




domingo, 18 de novembro de 2012

Livros sobre Umbanda

Assim como os livros espíritas, também não deixo de lado os livros sobre minha religião. Gosto de absorver conhecimento, comparar correntes doutrinárias e, sobretudo, compreender os seus rituais e  mistérios para ensinar às outras pessoas que a Umbanda nada mais é do que a própria simplicidade, humildade, caridade, fé e sabedoria, sem mistérios.

Coleção TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE UMBANDA 
Janaina Azevedo Corral
Editora Universo dos Livros
Volume 1 - 2008 - 144 páginas
Volume 2 - 2009 - 128 páginas
Volume 3 - 2009 - 128 páginas

Sinopse:
O principal objetivo deste livro é o de trazer, tanto ao público leigo quanto ao praticante que está se iniciando na Umbanda, conhecimentos gerais sobre a Religião. O livro foi produzido a partir de uma longa pesquisa científica que conglomerou os mais diversos conhecimentos e ensinamentos da Umbanda. Numa proposição ambiciosa, o livro tenta ser o mais abrangente possível e procura apresentar informações concisas e de bastante profundidade sobre a ritualística, a formação e a prática religiosa. Ele é parte de uma coleção editada em 3 Volumes. Neste primeiro volume, apresentam-se Histórias, Tradições e Rituais de Umbanda; Um apanhado geral da religião em honra de seus 100 anos de fundação; formas de culto, pontos (riscados e cantados) oferendas e outras informações essenciais sobre os orixás que são cultuados na Umbanda, tais quais Exu, Ogum, Oxóssi, Ossaim, Nanã Buruku, Omolu, Xangô, Iansã, Oxum, Ibejis, Iemanjá e Oxalá. Além de tudo isso, o livro ainda explica como é a arquitetura e o funcionamento de uma casa de Umbanda, fala da Hierarquia física e espiritual que orienta o templo; explica o que são Divisões, Linhas e Falanges. Na segunda parte do livro, o leitor encontra 3 capítulos especiais, sobre as entidades de origem africana na Umbanda - Pretos-Velhos, Exus e Pombagiras, Erês ou Crianças (Ibejada). Há também uma parte especial com artigos, em que são abordadas questões controversas como o uso de bebidas, tabaco, do sacrifício de animais, entre outros.



O LIVRO DA ESQUERDA NA UMBANDA - Saiba tudo sobre Exus, Pombagiras, Malandros, Ciganos
Janaina Azevedo Corral
Editora Universo dos Livros - 2010
128 páginas

Sinopse: A Esquerda da Umbanda de um jeito que você nunca viu... A Umbanda é uma das religiões que, com a crescente onda de valorização da cultura nacional e afro, tem ganhado muitos adeptos e, em geral, quem toma contato com ela se impressiona e acaba tendo um receio maior dos trabalhos de esquerda. É inegável que eles chama mais a atenção devida as cores preta e vermelha usadas, e ao tipo de entidade que se comunica. Porém, passando a estranheza e algum medo inicial, a maioria dos participantes começa a simpatizar mais com os trabalhos de esquerda do que com os de direita. Isso se dá basicamente devido a proximidade de entidades como Exus, Pombagiras, Ciganos, Malandros, Baianos, entre outros, que ajudam os participantes na resolução de problemas do dia a dia, relacionados a matéria, como a busca por uma carreira profissional melhor, resolução de conflitos amorosos, problemas de fertilidade, etc. Em pouco tempo, é muito difícil não se apaixonar pelo jeito simples destas entidades, os ensinamentos que trazem sobre a manipulação de elementos da natureza, os sábios conselhos dados, os pontos cantados e os rituais que apresentam. Este livro tem o objetivo de tirar o véu de Isis de sobre estas entidades, seus nomes, símbolos, pontos e características. Por meio dele, você entenderá quais são as sete linhas da esquerda da Umbanda e como elas se compõem. Saiba ainda sobre a estrutura e as esferas do plano espiritual.

RITUAIS UMBANDISTAS - Oferendas, firmezas e assentamentos
Rubens Saraceni
Editora Madras - 2007
128 páginas
Sinopse: Rubens Saraceni discorre a respeito de oferendas, firmezas e assentamentos realizados na Umbanda. Assentamento é o local onde são colocados alguns elementos com poderes magísticos, com a finalidade de criar um ponto de proteção, defesa, descarrego e irradiação. Pode ser destinado a uma só força ou poder, ou a várias. A entidade assentada, seja Orixá ou guia espiritual, utiliza esses elementos ativando-os segundo as necessidades do terreiro, do trabalho espiritual ou dos médiuns.


MANUAL DOUTRINÁRIO, RITUALÍSTICO E COMPORTAMENTAL UMBANDISTA
Lurdes de Campos Vieira /  Rubens Saraceni
Editora Madras - 2009
352 páginas
Sinopse: Neste guia, o umbandista encontrará dicas e instruções de como preparar os templos e o ambiente para os trabalhos, organizar grupos de trabalho e eventos, fazer a preparação comportamental da corrente mediúnica, do sacerdote, dos médiuns, dos ogãs, dos cambones e dos auxiliares. Até mesmo aqueles que nunca adentraram em um templo de umbanda, mas pretendem fazê-lo, aqui encontrarão dicas de como se portar em um espaço sagrado como esse. Os autores dedicaram-se também à preparação de instruções gerais, aliando a prática do culto à doutrina umbandista, apresentando o culto dedicado a cada um dos orixás, além de rituais, consagrações e cultos consagratórios diversos, bem como orientações para motivação religiosa dos frequentadores. Os leitores ainda terão à disposição o procedimento das cerimônias de batismo, casamento e funeral. Esta é uma obra que reúne várias práticas e torna mais fácil o trabalho dos dirigentes e médiuns umbandistas.



Leituras espíritas

Ao longo do ano esqueci de mencionar muitos dos títulos que li, principalmente os romances espíritas que tanto gosto. Então, faço aqui um resumo de todos os livros espírita que tive a felicidade de ler no decorrer desse ano, dos quais sempre consigo extrair algo de bom.


OS RECKENSTEINS
Wera Krijanowskaia, pelo espírito J.W. Rochester 
Editora Boa Nova - 2002
462 páginas
Sinopse:
O livro apresenta a saga da família do Conde Reckenstein, tradicional família da Europa medieval. A história é narrada de forma fascinante e encantadora por J. W. Rochester que desnuda as intrigas e as trivialidades da corte européia. Um livro de fortes emoções, narrado com singularidade de detalhes. 
Um dos romances mais lindos que li. Nota 1000!

JUREMA DA MATA
Monica de Castro, pelo espírito Leonel
Editora Vida & Consciência - 2012
368 páginas
Sinopse:
A escritora espiritualista Mônica de Castro, autora de inúmeros best sellers, lança agora seu 15º romance pela Editora Vida & Consciência, em que resgata a história de uma das mais importantes entidades da Umbanda, a cabocla Jurema, responsável por transmitir coragem e energia a quem necessita. Em 'Jurema das Matas', Mônica de Castro narra as quatro encarnações que a precedem, mostrando o quanto a simplicidade e a franqueza são fundamentais para que as pessoas não se iludam com falsos valores de conquista e de poder. Da trajetória sangrenta e sofrida, surge uma criatura dócil e infinitamente sábia, disposta a compensar seus desequilíbrios com o auxílio desinteressado aos irmãos de caminhada que formam a família humana.


AS FLORES DO PERDÃO
Américo Simões, ditado pelo espírito Clara
Ed. Bárbara - 2012
Sinopse:
No dia da formatura de segundo grau de sua filha Samantha, o Dr. Richard Johnson recebe uma ligação do hospital onde trabalha, solicitando sua presença para fazer uma operação de urgência numa paciente idosa que está entre a vida e a morte.Como um bom médico, Richard deixa para depois a surpresa que preparara para a filha e à esposa para aquele dia especial e vai atender ao chamado de emergência. Um chamado que vai mudar a vida de todos, dar um rumo completamente diferente do almejado, ensinar lições árduas...
"Por entre as flores do perdão" fará o leitor sentir na pele o drama de cada personagem e se perguntar o que faria se estivesse no lugar de cada um deles. A cada página viverá fortes emoções e descobrirá, ao final, que só as flores do perdão podem nos libertar dos lapsos do destino, fazer renascer o amor afastado por uma tragédia. 

DE FRENTE COM A VERDADE
Monica de Castro, pelo espírito Leonel
Editora Vida & Consciência - 2010
352 páginas
Sinopse:
O mais novo romance de Mônica de Castro retrata a história das jovens Marcela e Luciana. Sem o amor de Luciana, Marcela pensa que não vale a pena viver, até encontrar em Flávio o verdadeiro amor. E agora, o que fazer para ocultar a verdade sobre si mesma? Por caminhos tortuosos, Marcela descobrirá que a vida não compactua com a mentira, e a verdade sempre prevalece.


ACONTECEU
Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, pelo espírito Antonio Carlos
Editora Petit - 1999
144 páginas

Sinopse:
Livro espiritualista. As várias reações pós-morte, como a do jovem que já havia desencarnado e não sabia. E o julgamento precipitado de um ex-marido que vê frivolidade onde há desespero. Essas e muitas outras histórias tornam a leitura fascinante.


ELA SÓ QUERIA CASAR
Marcelo Cezar, pelo espírito Marco Aurélio
Editora Vida & Consciência - 2012
320 páginas
Sinopse:
O que você faria se morresse neste exato momento? Teria condições de deixar naturalmente e por tempo indeterminado a pessoa amada ou sua família, seus amigos, seu trabalho, sua casa, seus pertences? Como você reagiria se, em uma fração de segundos, a sua estadia no planeta chegasse ao fim? Aconteceu com Gláucia. Moça bonita, cheia de planos e prestes a se casar, ela descobriu que a Vida é muito mais do que parece e trabalha incansavelmente para que cada um desenvolva seus potenciais ocultos. Diante de um romance envolvente e personagens cativantes, Ela só queria casar... revela que só acontece o que Deus permite. E Ele só permite o que é melhor para nós! 


PARA AS MÃES OS FILHOS NÃO MORREM
"O retrato de Jane"
Kate Seierup, apresentação de Afonso Schimidt
Editora Lake - 2012
472 páginas
Sinopse:
Quando coloquei a última peça do meu enxoval na caixa, que a empresa de transporte viria buscar, tive um mau pressentimento: senti uma angústia indefinível. Era uma almofada pintada a óleo. Mostrava um cachorro sentado ao piano, cantando certa música que começava assim – Era uma vez um cão maltês que tocava piano e ladrava em inglês. Foi presente de minha irmã Joaninha, que o pintara muito a propósito, para me arreliar, pois eu vivia tocando piano e cantando em inglês. Qual seria a razão de minha tristeza? Não sei. Pressentimento. Alguma coisa invisível aos meus olhos, mas não à minha alma, dizia-me que meu casamento seria o primeiro passo para o calvário. 

A VIDA EM DUAS CORES
Flávio Lopes, pelo espírito Emanuel
Editora Vida & Consciência - 2008
224 páginas
Sinopse:
Fazemos o nosso próprio destino. Nossas crenças geram situações que nos obrigam a experimentar na pele aquilo que acreditamos. Otávio é um homem que, movido pelo orgulho, acimentou em si idéias absurdas e racistas. Mas a vida, com suas leis perfeitas, faz com que ele viva o outro lado das coisas. Nesta história, você vai perceber que a vida não pune, mas ensina.

NINGUÉM DOMINA O CORAÇÃO
Mauricio de Castro - pelo espírito Saulo
Editora Lumen - 2012
512 páginas
Sinopse:
Acostumado a usar e abusar das mulheres, acaba apaixonando-se perdidamente pela jovem Luciana, filha da governanta de sua casa. Totalmente apaixonada, Luciana entrega-se a Fabiano e ambos passam a viver uma intensa relação, mas ele reluta em assumi-la publicamente porque o pai se casa novamente com Laís, uma mulher má, preconceituosa, perversa e cruel, que passa a nutrir uma paixão desenfreada e obsessiva pelo enteado. Luciana e sua mãe são obrigadas a sair da casa e mudar de cidade; a mãe desencarna; Luciana, grávida, leva a gestação até o fim, mas abandona o bebê após o nascimento. Depois de muitos anos, Luciana, corajosa, torna-se uma poderosa empresária do ramo da moda e reencontra Fabiano e Arthur, que passam por grandes dificuldades financeiras. Que frutos ela vai colher com a possibilidade de um plano de vingança? 

sábado, 17 de novembro de 2012

A Hospedeira - Stephenie Meyer

A hospedeira
Stephenie Meyer
Intrinseca -2009
560 pags.
Sinopse:
Melanie Stryder se recusa a desaparecer. Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente.

"A Hospedeira corresponde às expectativas de sua fama: combina ficção científica e romance de uma forma que nunca dera tão certo." - Library Journal

"Com cenas inesquecíveis e perturbadoras que apontam questões fascinantes sobre distinções entre a essência da humanidade e seu corpo físico, é uma leitura arrebatadora." - Booklist

"Um thriller de ficção científica atormentador." Publishers Weekly

Mesmo na minha idade, não tenho qualquer problema em afirmar que sou, sim, uma das fãs ardorosas de Twilight, assim como sou fã de carteirinha de Harry Potter, Senhor dos Anéis, Star Wars e e tantas outras séries. Quando terminei de ler todos os livros da saga Crepúsculo, fiquei atormentada porque queria mais daquele veneno embevecedor.

Foi então que uma amiga me emprestou A Hospedeira, de Stephenie Meyer, lançado em 2009 pela Intrinseca. Até achava que já havia falado sobre ele aqui no blog, mas falha minha, esqueci. Quando me emprestou, minha amiga mencionou que não tinha conseguida sair das primeiras páginas, que era tudo muito confuso e chato.

Minha sorte é que sou teimosa, e mesmo tendo concordado com ela sobre o início, não me arrependi de ler até o final. 

Para os que gostam de ficção científica, alíens e coisas do gênero, fica a dica.

E leiam rápido, porque já está prevista a estréia, no Brasil, em 29/03/2013, o filme The Host, adaptação do livro.


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

ECHO PARK - MICHAEL CONNELLY

O detetive Harry Bosch é uma daquelas pessoas sempre obcecadas com o trabalho. Em Echo Park, Bosch está prestes a desvendar o mistério que o atormenta há mais de dez anos: o desaparecimento da jovem Marie Gesto, vista pela última vez em um supermercado antes de seu carro ser abandonado em uma garagem desocupada, sem nenhum vestígio dela, além das compras e das roupas que usava no dia em que sumiu.

Depois de mais de uma década, Bosch, que jamais abandonou o caso, tem a chance de saber a verdade sobre Marie Gesto, quando o esquartejador de duas mulheres é preso e aceita confessar o assassinato de outras nove vítimas, se o estado trocar a pena de morte pela prisão perpétua.

Será que esta é realmente a chance de Bosch descobrir o que aconteceu com Marie Gesto? Será que o assassino confesso realmente a matou, ou outras evidências, que surgem no decorrer da trama, podem levá-lo a outro criminoso?

Echo Park foi o primeiro livro de Michael Connelly que li. Com um enredo bastante seguro e uma narrativa rápida e direta, a trama vai se desenvolvendo aos olhos do leitor, que a cada página fica tão obcecado quanto Harry, com o desejo de desvendar a verdade.

Echo Park
Michael Connelly
Objetiva - 2008
368 pags.
Sinopse:
Echo Park é o décimo segundo romance em que Michael Connelly apresenta Harry Bosch, um detetive experiente, obcecado pelos crimes que investiga. Desta vez, Harry é assombrado por um fantasma. Um fantasma que o perturba há treze anos.

Em 1993, ele investiga o desaparecimento da jovem Marie Gesto, que, após ser vista indo ao supermercado, nunca mais foi encontrada. Como vestígio, apenas seu carro com algumas de suas roupas e compras dentro. Por mais que tenha lutado para descobrir seu paradeiro, Harry não conseguiu concluir a investigação, que passou a figurar na lista da delegacia de Casos Abertos / Não Resolvidos. Agora o detetive veterano vislumbra a chance de poder, finalmente, desvendar o mistério que o martirizou por tanto tempo.

Raynard Waits é um homem acusado de matar e esquartejar duas pessoas, mas existem suspeitas de que ele também tenha cometido outros nove assassinatos. Entre eles, o de Marie Gesto. Mas ele pretende propor um acordo à Justiça para escapar da pena de morte. Em troca da atenuação de sua pena, o réu mostraria onde estão os corpos das nove pessoas desaparecidas e assassinadas por ele.

A partir daí, Harry Bosch terá que enfrentar inúmeros desafios, um após o outro. Precisará estar próximo do homem que talvez seja o culpado por tantos anos de agonia e dúvidas, provavelmente o inimigo mais sádico e perigoso que tenha encontrado em toda sua vida. E ainda terá que conviver com a culpa por ter ignorado uma pista que poderia ter concluído o caso ainda em 1993, evitando a série de assassinatos que se seguiu.

A ascensão dos nove - Pittacus Lore

A ascensão dos nove
Pittacus Lore
Intrínseca - 2012
287 págs.
Sinopse:
Antes de encontrar John Smith, o Número Quatro, eu estava sozinha, lutando e me escondendo para continuar viva. Juntos, somos ainda mais poderosos. Mas isso só vai durar até precisarmos nos separar para localizar os outros. Fui até a Espanha em busca da Número Sete e encontrei mais do que esperava: um décimo membro da Garde, que conseguiu escapar vivo de Lorien. Ella é mais jovem que o restante de nós, mas igualmente corajosa. Agora estamos à procura dos outros — de John inclusive.

Confesso que esperava mais desse terceiro volume da série Os legados de Lorien. Ainda que seja direcionada para os mais jovens, a história é interessante e acreditei que poderia ficar melhor a cada volume. A narrativa desse terceiro livro foi cansativa e muitas vezes deixei de lado, para ler outra coisa.

Enfim, em "A ascensão dos nove", a Garde consegue se reunir quase que totalmente, faltando, apenas, o integrante de número Cinco, cujas informações já começaram a aparecer. Enquanto John e Nove, sempre acompanhados pelo fiel Bernie Kosar, permanecem nos Estados Unidos, a procura de Sam e de Sarah; Seis, na companhia de Sete (Marina) e Dez (Ella), que encontrou na Espanha, estão agora na Índia, procurando pelo número Oito.

Novos legados aparecem para alguns; eles descobrem que Setrakus Ra já está na Terra; visões de encontros entre mogadorianos e lorienos são cada vez mais frequentes em sonhos; e a parceria entre o Governo Americano e os Mogadorianos causa grande espanto.

De resto, ao menos na minha opinião, faltaram mais informações sobre legados, sobre as arcas e seus mistérios, etc. Ainda assim, O legado de Lorien não perdeu o charme inicial, e, lógico, vou esperar pelo próximo volume.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Cotoco - John van de Ruit

O tema de novembro do desafio literário 2012 - escritores africanos, me trouxe a grata surpresa de ler Cotoco, que, só veio para minhas mãos porque há alguns meses consegui comprá-lo por R$ 10,00, numa promoção da FNAC. Não fosse isso, talvez esse livro passaria despercebido por mim.

Nicolau adolescente
Quem teve a oportunidade de ler "O pequeno Nicolau" de René Goscinny, com ilustrações de Jean-Jacques Sempé, certamente o identificará em Cotoco - o diário (perversamente) engraçado de um garoto de 13 anos, do sul-africano, John van de Ruit.

Enquanto Nicolau, de 06 anos, vive as voltas com as peripécias de sua turma da escola, o mesmo acontece com John Milton, de 13 anos, com a sua turma de estranhos garotos do internato onde estuda.

Ambos são narrados em primeira pessoa pelas personagens centrais, e, cada um com suas palavras e visão de mundo de sua própria idade e tempo. Cotoco é o Nicolau adolescente.

Aos 13 anos, John está extremamente nervoso com o início das aulas em uma das melhores escolas para meninos da África do Sul, onde conseguiu uma vaga como bolsista.

Ele não consegue imaginar o que é pior: continuar convivendo com sua família totalmente maluca ou passar o ano todo na companhia dos mais bizarros garotos que já encontrou. Os "Oito Loucos", como John e seus colegas de quarto são conhecidos na escola, entre as aulas e uma partida de críquete ou de rúgbi, passam por situações mais que inusitadas, que vão desde um mergulho noturno, horríveis comemorações de aniversário, à descoberta do amor, da puberdade e da verdadeira amizade, tudo contado por Cotoco, na forma de um diário. 

O diário de John é, de fato, perversamente, divertido. Não deixe de ler - nota 4.

Cotoco
John van de Ruit
Intrínseca - 2010
392 pags
Sinopse:
África do Sul, 1990. Dois grandes eventos estão prestes a acontecer: a libertação de Nelson Mandela e, o que para o garoto John Milton é ainda mais importante, o início das aulas no internato. Cercado por pais no mínimo lunáticos, uma avó gagá e colegas de dormitório para lá de estranhos (com apelidos do tipo Lagartixa, Rambo, Rain Man e Cachorro Doido), John (que graças a suas partes íntimas pouco desenvolvidas é debochadamente apelidado de Cotoco) faz o que pode para se adaptar - e tudo indica que não será fácil. Munido apenas da própria perspicácia e de um diário, Cotoco vive uma série de situações bizarras e divertidas: de mergulhos proibidos no meio da madrugada a acirrados campeonatos de críquete, passando pela caça ao fantasma de um professor e por catastróficas férias em família. E é nas páginas de seu diário que acompanhamos o peculiar - e sobretudo engraçadíssimo - funcionamento da mente de um garoto de 13 anos ao descobrir a vida, a amizade... e a pluralidade da fauna humana.
John van de Ruit
Cotoco ainda tem dois outros volumes, ainda não lançados no Brasil:
  • Spud: The Madness continues
  • Spud: Learning to fly
É possível que nas locadoras se encontre o filme, lançado na África do Sul em 2010. Veja o trailler:


Site oficial do filme Spud



E pra quem se interessou por "O pequeno Nicolau", não deixe de ler, mesmo não sendo criança. Até hoje dou mil gargalhadas a cada releitura. Mas leiam o primeiro volume que deu origem a série de livros com o mesmo personagem. Essa aí é a capa do volume 2.



sábado, 13 de outubro de 2012

Flores de Dentro - Marla de Queiróz

Marla de Queiróz é jornalista, escritora e poeta. Nascida em Brasília, onde iniciou o curso de Filosofia, formou-se em jornalismo no Rio de Janeiro, e, atualmente é uma carioca autêntica, uma pin up do século 21.

Conheci seus textos e poemas no facebook, e a partir daí, busquei conhecer melhor o seu trabalho. Foi através de seu blog transFLORmar-la que descobri o livro Flores de Dentro, publicado em 2008, pela Editora Multifoco. As vendas do livro são feitas pelo blog ou pelo facebook, na página da autora Marla de Queiróz ou na página da editora Multifoco, por R$ 30,00.

Segundo a autora, o livro, que tem prosa e poesia, nasceu dos textos produzidos por ela no decorrer de um caso afetivo com um poeta.
Flores de Dentro
Marla de Queiróz
Editora Multifoco
2008
"Eu tinha um caso afetivo com um poeta e passei a produzir muito. Ele falava sempre em publicações. Um dia a multifoco se ofereceu pra publicar uma seleção que eu tinha feito e aceitei. “Flores de Dentro” é dividido em quatro capítulos: prosa poética e poesia, além de uns haicais… Não existe segredo. A poesia toca ou não toca".

Marla de Queiroz, brasileiríssima, é marlabarista de palavras. Simples e complexa como a contradição. Negra-índia urbana: fruto improvável de nó de intelecto e calo de mão. Seus versos vêm da imagem, do amor, da saudade, da contemplação. Com estética e sotaque próprios, nascem em Brasília e deságuam no Rio de Janeiro. Profundos e mundanos, transpiram cerveja, cigarro, lágrimas e gargalhadas. Ler Marla é sentir a confortante sensação de que não estamos sós. É saber que temos alguém por perto para expressar o que sequer conseguimos sentir.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...